NOTÍCIAS


Eli Ferreira, de ‘Renascer’, conquista a casa própria, se emociona e chora

Enquanto a professora Lu, em “Renascer”, tem um pai rico, na vida real, sua intérprete Eli Ferreira batalhou muito para alcançar seu sonho de ter um imóvel próprio.

Não por acaso, a atriz se emocionou bastante ao comemorar a compra de sua primeira casa própria. Chorando de emoção, ela destacou a conquista de um sonho

“‘Vivona’ e vivendo sob bênçãos, proteção e direcionamento de Olodumare, Fá, das minhas e dos meus ancestrais”, disse Eli, primeiramente, destacando sua fé.

Em seguida, ela fez um resumo de sua trajetória: “Tem muita coisa para falar, mas nem tudo é pra ser dito (por hora, risos). Mas o que se pode dizer neste momento é o que sempre foi óbvio para mim (mesmo antes de começar a entender meu destino nesta vida)” destacou.

“O importante é o que importa: terra. Casa. Lar. Porto. Família. Linhagem. E tenho consciência também que em algum lugar, inspiro muita gente, principalmente as pessoas que sabem de onde venho e/ou me acompanham – e não é de hoje – que trocam e se veem em mim. Quero falar especificamente pra vocês: prosperar é parte fundamental para cura. Quebrar padrões, romper pactos e crenças limitantes”, escreveu Eli Ferreira.

Eli Ferreira relembra as dificuldades

A atriz mostrou imagens da nova casa, segurando as chaves, uma cadeira e a paisagem ao redor. Em um vídeo, ela aparece visivelmente emocionada. Na legenda, a atriz destacou a importância de investir em um imóvel para si mesma:

“Calma, não tem papo de coach aqui não. Até porque muitos deles vão dizer também: ‘Imóvel é furada! Não compre casa’. Aham… Vai falar para quem viveu a vida inteira de aluguel, que vem de família que não sabe sequer o que é ter carro próprio, que ‘ter casa própria é burrice’. Vai ficar falando sozinho. Mas isso aí é papo para outro dia, e pra quem quiser”, disse.

“Voltando ao que importa: use sua energia pra conquistar seus sonhos… Prioridades. A ‘Didi’ (minha criança) sempre sonhou com sua casa própria. Conquistou! E vai conquistar muito mais porque ela também tem me mostrado o caminho. Os próximos passos são fazer desta casa um lar, com a minha cara, minha digital e minha energia para viver, trocar e receber os meus.”

Caminhada árdua, mas vitoriosa

Recentemente, em um intervalo de gravação no qual OFuxico esteve presente, Eli contou que teve uma infância humilde. A atriz citou as escolhas difíceis que teve que fazer ao longo da vida.

“A gente teve uma infância muito humilde. No final da adolescência, pensei em desistir da profissão. Depois que ganhei o Miss Belford Roxo, eu tinha acabado de ser contratada por uma empresa de telemarketing. Fiquei na dúvida se devia ir para uma coisa certa, que era o call center, ou se apostava em algo incerto. Minha vida sempre foi de escolhas difíceis, sempre dei tiros no escuro. Ainda mais quando você vem de uma realidade onde não encontra referências”, contou Eli.

Eli também lembrou a ajuda do padrinho na época, que foi crucial para sua inscrição e preparação para o concurso de Miss Belford Roxo, município da Baixada Fluminense, onde morava:

“Não tive dinheiro para pagar a inscrição do Miss Belford Roxo. Meu padrinho conseguiu a isenção da taxa e também arrumou o vestido, o cabelo… para eu pagar o mínimo possível. Eu ia andando para o Centro da cidade (oito quilômetros) para ensaiar porque não tinha o dinheiro do ônibus”, relembrou Eli. “Comecei a participar de muitos concursos de miss e fazer várias campanhas de cosméticos. A primeira disputa foi no Musa Negra, em 2009, e ganhei. Depois, participei do Miss Baixada Fluminense, e fiquei em segundo lugar. No Miss Belford Roxo, conquistei a primeira colocação, e no Miss Rio de Janeiro, fiquei em terceiro.”




04/07/2024 – Manhã da Diário

COMPARTILHE

SEGUE A @MANHADADIARIO

(96) 99122-6978

contato@manhadadiario.com.br

NO AR:
1 HORA DE MÚSICA - MANHÃ DA DIÁRIO