NOTÍCIAS


Fábio Porchat erra feio ao fazer piada com homem morto

Humor de péssimo gosto em horário nobre. Durante sua participação no “Encontro com Patrícia Poeta”, nesta quinta-feira, 18 de abril, Fábio Porchat perdeu a mão e fez uma encenação péssima e completamente condenável. O humorista encenou uma situação envolvendo “Tio Paulo”, um caso recentemente divulgado onde uma mulher levou um homem morto ao banco na tentativa de sacar um empréstimo.

Um caso como este precisa ser discutido com seriedade. É certo que o humor não pode ficar preso a limites, mas exceções existem e devem sim ser respeitadas. Não bastasse a piada de Porchat, que foi recebida com gargalhadas pela platéia, a apresentadora também se divertiu com a piada.

 
Web critica piada de Fávio Porchat sobre homem morto - Foto: Reprodução X

Web condena fala de Porchat

Antes mesmo de concluir sua participação, as reações nas redes sociais já mostravam descontentamento. Mila Drew, usuária do X, expressou sua incredulidade: “É sério que estão achando isso engraçado?” As críticas não pararam por aí. Michele, outra internauta, disparou: “Fábio Porchat é ridículo ao brincar ao vivo com uma senhora, imitando o episódio triste e macabro do velhinho morto no banco.”

Outro usuário que se apresenta como FelipeCrist alertou: “Se eu fosse da família do Tio Paulo (sem ser a sobrinha), eu ia processar mt ele”. Simmy March também condenou a performance: “Não sei. É  tão  surreal. Tanto a piada. Tanto o acontecido .O brasileiro normaliza tudo no humor . A normalização  do absurdo nos torna desumanos. Mas…”.

A história macabra de “tio Paulo”

O caso original, que serviu de inspiração para a infeliz piada de Porchat, foi noticiado primeiramente pelo repórter Pedro Bassan no “Jornal Nacional”. Érika de Souza Vieira Nunes foi flagrada em uma agência bancária no Rio de Janeiro tentando realizar um saque em nome de seu tio já falecido, Paulo Roberto Braga, movendo suas mãos e falando com ele como se estivesse vivo. O episódio, registrado em vídeo por funcionários do banco, rapidamente se tornou viral.

Impacto e consequências

Após a repercussão negativa, a discussão sobre os limites do humor e o respeito pela dignidade humana se intensificou. Porchat, conhecido por sua irreverência, desta vez ultrapassou a linha do aceitável para muitos de seus espectadores. A discussão segue acalorada nas redes sociais, com muitos questionando a adequação de tais temas em contextos humorísticos.

Reflexões no programa

No decorrer do programa, até mesmo a apresentadora Patrícia Poeta comentou sobre o quão inacreditável era a história, comparando-a a roteiros de cinema. “Só vi isso no cinema”, disse ela, refletindo a estranheza do ocorrido.

Enquanto a poeira não baixa, o debate sobre o episódio e suas implicações para o humor na televisão brasileira continua. A questão que fica é: até onde pode ir o humor na exploração de eventos reais e sensíveis?




19/04/2024 – Manhã da Diário

COMPARTILHE

SEGUE A @MANHADADIARIO

(96) 99122-6978

contato@manhadadiario.com.br

NO AR:
A HORA DO PEÃO - MANHÃ DA DIÁRIO