NOTÍCIAS


Vale Tudo: Quem matou Odete Roitman? A pergunta atravessa gerações

A telenovela mora no imaginário brasileiro e isso é inegável, por mais que a tecnologia avance e nos brinde com novas possibilidades. Que o diga o sucesso de “Vale Tudo”, trama escolhida na vasta vitrine de teledramaturgia da Globo, para marcar os 60 anos da emissora.

Embora somente agora a história ganhe um remake, a bem da verdade “Vale Tudo” jamais saiu da boca do povo. Mesmo de quem não acompanhou a trama.

Ou será que há alguém que nunca tenha se deparado com a clássica pergunta “Quem matou Odete Roitman”? Pois é! Poucas sequências da teledramaturgia, antes de mais nada, tiveram tanto impacto e suspense como a morte de vilã imortalizada por Beatriz Segall.

Complexa, Odete Rotimann estava no centro de todas as maldades e tretas da trama e o mistério em torno de sua morte movimentou bolões de apostas numa época em que talvez nem mesmo os criadores das Bets haviam nascido!

Na revelação do “quem matou”, as ruas das cidades ficaram vazias. Dificilmente uma TV não estava sintonizada na Globo. As apostas em jogo do bicho bombaram, inspiradas na história.

Quem apertou o gatilho?

Odete Roitman conquistou grande popularidade e se transformou em uma das mais destacadas vilãs da teledramaturgia. A personagem, aliás, marcou a volta de Beatriz Segall à Globo após cinco anos longe da emissora.

Seu último trabalho havia sido na novela “Champagne” (1983), de Cassiano Gabus Mendes, na qual interpretou Eunice, uma mulher pobre e humilde, que contrastava com os papéis de grã-fina que se acostumara a fazer na TV.

Odete é assassinada nos capítulos finais, gerando um grande mistério na história. O Brasil inteiro parou para saber quem era o assassino. Na verdade, era algo tão complexo e bem amarrado que ninguém poderia imaginar que se tratava de uma mulher: Leila (Cassia Kis).

Vale Tudo - (Leila) Cássia Kis

A mulher do mau-caráter Marco Aurélio (Reginaldo Faria), diretor da TCA. Leila atira em Odete pensando se tratar de Maria de Fátima (Gloria Pires), que se tornara amante de seu marido.

A personagem era conhecida por sua frieza, astúcia e determinação e sua morte não apenas alterou o curso da narrativa, mas também deixou um vazio na trama que ecoou até o desfecho da novela.

“Vale Tudo” permanece, sob os olhos da crítica, como uma das melhores produções da história da teledramaturgia brasileira. Não por acaso, a escalação da atriz que viverá a personagem é a grade expectativa em torno do remake.




07/07/2024 – Manhã da Diário

COMPARTILHE

SEGUE A @MANHADADIARIO

(96) 99122-6978

contato@manhadadiario.com.br

NO AR:
1 HORA DE MÚSICA - MANHÃ DA DIÁRIO